O CHARME SEM TEMPO DOS ACHADOS ARQUEOLÓGICOS

aves-moa

Os objetos arqueológicos são documentos, achados depois de uma escavação, que ajudam a reconstruir eventos, costumes e tradições de uma época histórica particular. Portanto, são guardiões de um encanto especial que os torna incrivelmente interessantes, não só aos olhos dos estudiosos, mas também à aqueles dos simples curiosos. A terra, no tempo, com a sucessão de civilizações, ficou enriquecida com “tesouros”, ou seja, de provas materiais, capazes de evocar o sabor de uma época anterior. Além disso, essa é precisamente a tarefa da arqueologia: estudar as civilizações e as culturas humanas do passado através do registro valioso dos achados (materiais, artes, ofícios, etc.) encontrados em escavações. Portanto, pode ser contada justamente entre as ciências históricas já que reconstrói as sociedades do passado atráves uma análise minuciosa de suas manifestações materiais. A arqueologia nasceu durante o Humanismo, um período em que ele desenvolveu um interesse particular na era clássica greco-romana. Fundador desta disciplina foi o humanista Ciriaco d’Ancona, que, para desenterrar o passado glorioso de Roma e Grécia, estudou inúmeros sítios arqueológicos em maneira metódica, realizando seja reproduções gráficas que relatos escritos de suas reconstruções do passado. Hoje a arqueologia, graças às novas tecnologias (pense, por exemplo, no método de datação por radiocarbono), foi capaz de fazer grandes progressos e contribuiu significativamente para o aumento do conhecimento na disciplina histórica. Veja abaixo alguns dos achados arqueológicos descobertos que conseguiram descrever detalhes do passado realmente incríveis: a partir da reconstrução através do DNA das aves Moa, passando pela Porta do Sol da Bolívia até a cidade submersa de Yonaguni.

1 – pássaros moa: reconstruídos com o DNA

As aves Moa, uma raça extinta, povoaram a Nova Zelândia até o século XVI. Sua aparência não era diferente daquela de uma avestruz; no entanto, elas eram mais altos do que 3 metros e podiam chegar a um peso de 250 kg. Alguns estudiosos acreditam que esse tipo de ave foi exterminado pelos Maori, uma população de marinheiros nativa da Polinésia. No século XX, um grupo de pesquisadores australianos descobriu uma garra pertencente a Moa: graças a esta descoberta foi possível atráves do DNA, realizar uma reconstrução muito fiel dessas aves fascinantes, que eram considerados bucha de canhão para os velejadores do Pacífico ( O ARTIGO CONTINUA NA PÁGINA 2).

Página 1 de 10
Responsive Menu Clicked Image