Um aliado na luta contra o cancêr de mama: o café

caffè-e-pillole

A pesquisa sobre o câncer de mama achou um aliado importante: o café que pode ajudar na luta contra essa grave doença. Pesquisadores da Universidade de Lund, realizaram um estudo sobre as propriedades anticancerígenas da bebida, e concluiram que, bebendo dois copos por dia, e junto tomarndo um remédio específico, o Tamoxifen, o risco de recorrência do câncer de mama pode ser reduzido pela metade. A pesquisa conduzida pela Universidade Sueca foi realizada através da análise bem 1090 mulheres com a doença, revelando novas descobertas sobre o poder anti-tumoral da cafeína e do ácido cafeico. Estes últimos, interagindo com o tamoxifeno, reduzem a taxa de reprodução das células cancerígenas , parando o aumento da massa: desta maneira, bloqueiam a proliferação destas células.

donna-caffe

A pesquisa, conduzida por uma equipe cujos principais autores são Ann Rosendahl e Helena Jernström, foi publicada na revista científica US Clinical Cancer Research, e levou em conta tanto a patologia celular de tumores em pacientes que os hábitos destes. Após a observação dessas variações sobre os pacientes que foram submetidos ao tratamento com tamoxifeno, um fármaco à base de hormônios que inibe os receptores de estrogênio, mostrou que aqueles que consumiam pelo menos duas xícaras de café por dia tinham uma redução do recorrente de cerca do 50%. O mesmo resultado, no entanto, não foi encontrado em pacientes que não bebiam café, ou bebiam menos do que duas xícaras por dia. Parece, portanto, que as células cancerosas manifestem uma reação seja à cafeína que ao ácido caféico, pelo menos de acordo com a pesquisa realizada pela Universidade Sueca.

Uma descoberta que poderia ser útil para mulheres que sofrem deste perigoso câncer , mas é obviamente importante ressaltar que este método não deve ser considerado uma cura, mas um truque simples a mais. O risco de recorrência do tumor e, na verdade, é altamente subjetivo e depende de muitos outros fatores, como o estilo de vida, a idade, a genética e assim por diante. Resta apenas torçer que esta descoberta seja um avanço na pesquisa contra o câncer de mama.

Página 1 de 1
Responsive Menu Clicked Image